4 Perguntas – Rafael Peccin

08-10-2019

Share Button

Rafael Peccin é diretor de marketing da Casa Hotéis, coleção de hotéis de charme do Rio Grande do Sul que em 1997 inaugurou seu primeiro hotel, o Casa da Montanha, em Gramado.

De lá pra cá, não só a cidade que é sede do grupo se desenvolveu e se tornou destino turístico referência, como a excelência no atendimento e originalidade de seus hotéis fizeram o Casa Hotéis querer ampliar seu reconhecimento além das fronteiras gaúchas.

Convidamos Rafael para dividir conosco um pouco dessa trajetória e as estratégias adotadas para os próximos anos.

1- Recentemente o grupo Casa da Montanha anunciou sua nova marca corporativa e passou a se chamar Casa Hotéis. Como foi o processo de re-branding?

Rafael Peccin: Nosso grupo nasceu há 22 anos a partir da inauguração do Casa da Montanha, hotel que logo se destacou por ser diferente de tudo que a Serra Gaúcha tinha, prezando sempre pela excelência no atendimento aos clientes.

Com a abertura do Parador, o primeiro glamping do Brasil, em Cambará do Sul, o nome Casa da Montanha naturalmente assinou a marca do segundo hotel, levando credibilidade e, principalmente, a essência do Casa da Montanha para um destino até então pouco conhecido. Não foi diferente alguns anos mais tarde quando resolvemos transformar um antigo imóvel da família, no centro de Gramado, em mais um pequeno e charmoso o hotel, o Petit Casa da Montanha. Até que em 2018, inauguramos o Wood, um hotel diferente de tudo o que já tínhamos feito. Com proposta cosmopolita e forte valorização da arte e da gastronomia glocal, um hotel que chegou para mudar a cara da hotelaria da Serra Gaúcha, sem perder o jeito charmoso e aconchegante de bem receber Casa da Montanha.

Esse projeto, então, nos provocou a mudar o comportamento e rever nosso posicionamento. Uma mudança necessária, mas que precisava ser feita de uma forma que respeitasse a nossa história e a nossa essência.

O re-branding demorou quase um ano. Foram muitos estudos até chegarmos no entendimento que precisaríamos de uma marca guarda-chuva, uma marca de grupo, com olhar de cima para os nossos empreendimentos, e que se identificasse com nosso propósito. Assim nasceu “Casa Hotéis”. Uma coleção de pequenos hotéis de lazer upscale, com personalidades próprias e que prezam pela excelência no atendimento aos clientes.
Marcas independentes e diferentes, com o mesmo propósito: receber em “Casa”.

Como a história não pode ser apagada, a identidade da nova marca resgata a icônica tulipa do Casa da Montanha, que agora é vista de cima com cores neutras, preto e branco. A partir da marca principal todas as marcas dos hotéis passam por um redesenho respeitando o posicionamento de cada produto. O resultado são 5 marcas totalmente novas e lindas.

2- A coleção de hotéis é referência na Serra Gaúcha e tem empreendimentos bem distintos entre si. Como é feita a gestão de marketing de vocês?

Rafael: É um constante desafio, justamente por serem produtos distintos. É preciso respeitar o posicionamento de cada um dentro da mesma estrutura e plataforma comercial. Lançar um produto totalmente novo, como o Wood, pode ser mais fácil por já entendermos o comportamento do cliente para qual ele foi desenhado. Um dos maiores desafios é adaptar os produtos mais clássicos a um novo comportamento de consumo. Mas é como o nosso carrossel, instalado em frente ao Casa da Montanha Hotel, podemos ser clássicos, mas jamais sairemos de moda. É assim que trabalhamos nossa gestão, de forma atemporal, respeitando nossas origens e aquilo que acreditamos.

3- Para a abertura do Hotel Wood, em outubro/18, vocês decidiram trocar a assessoria de imprensa que os atendia há anos. O que os levou a querer trabalhar com uma agência de comunicação de fora do Rio Grande do Sul?

Rafael: Entendemos que era a hora de ser mais conhecido nacionalmente. Temos um prestígio grande no sul do Brasil e queremos ganhar esse prestígio no resto da país. Nosso objetivo é ser reconhecido como a melhor coleção de hotéis independentes do país, com gestão 100% brasileira.

4- Assim como os hotéis do Casa Hotéis, a B4Tcomm tem um perfil butique e atenção aos detalhes. Como você enxerga a sinergia entre cliente e fornecedor atualmente?

Rafael: Não é apenas sobre o fornecedor e o cliente. Acredito que há uma relação, um envolvimento que procura entender e respeitar a história e as relações de uma empresa familiar, que está em busca sempre do melhor. Com muita exigência e por meio do entendimento que os pequenos detalhes fazem a diferença, é que percebemos quando uma empresa está disposta a encarar os desafios de seus clientes e, juntos, trilhar o caminho para o sucesso.